quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Exposição "Clarice e Eu


Um comentário:

  1. CONCEPÇÃO DAS OBRAS
    “Clarice e Eu”

    A série de pinturas ”Clarice e Eu” foi sendo gestada aos poucos enquanto leituras das obras de Clarice Lispector iam invadindo meus pensamentos, mexendo com minhas memórias, formando teias, ideias e formas.
    Seguida de minha série anterior intitulada “Narrativas de Si”, aqui nesta série eu também conto de mim (sempre) e de tantos que me cercam. No entanto, inspirada e sintonizada aos sentimentos e escritas recorrentes de Clarice.
    Clarice Lispector (1920 Ucrânia -1977 Rio de Janeiro).
    Uma escritora premiada, decidida a desvendar as profundezas da alma, e, estas sempre foram a bússola buscando entender a essência humana. Ela sempre fora guiada por perguntas e esta é a característica maior de suas obras. Fazendo uso de metáforas, ela escreve e questiona sobre os sentimentos, as contradições do amor e da dor, mexe com questões sociais e a invisibilidade da mulher. Igual a uma criança ela desejava ardentemente descobrir os porquês do mundo, da vida e da condição humana em geral.
    Igual a uma criança ela desejava ardentemente descobrir os porquês do mundo, da vida e da condição humana em geral, buscando respostas para seus sentimentos, suas amarguras, suas contradições e sua incompletude como mulher.
    Assim, Eu Rosina de Franceschi, me encanto, me encontro e também me perco com Clarice!
    Com este enfoque, concebi esta série de pinturas e, numa oportunidade ímpar, expus na Irlanda em 2014 na AIT - Athlone Institute of Technology (Universidade), O que justifica os painéis serem alongados e sem chassis.
    Em linguagem figurativo-abstratas e cores ora análogas ora opostas, uso técnica mista sobre lona, onde aparecem sutilmente formas humanas em ambientes tomados de vazios e de gente, tão contraditórios como é a vida humana! Em meio a essas formas escrevo difusamente frases desconexas e fragmentadas numa teia que teci de Clarice e Eu.

    ResponderExcluir